Instituto Nokia de Tecnologia desenvolve novas soluções para acessibilidade Instituto usa a tecnologia mobile para melhorar a vida das pessoas com deficiência Tornar possível o que, antes, seria inimaginável. É assim que o INdT atua quando o assunto é plataforma mobile: encontrando aplicações inovadoras para os dispositivos móveis, que transformam a forma como as pessoas lidam com esta tecnologia. Entre os projetos atuais estão soluções para quem tem problemas de visão, deficiência auditiva ou daltonismo. Segundo o Censo 2000, do IBGE, existem no Brasil mais de 5,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), existem 135 milhões com baixa visão em todo o mundo. No Brasil, o número de portadores de algum tipo de deficiência visual é de 3,5 milhões. “Trata-se de um grande número de pessoas, que não pode ficar excluído das vantagens que a tecnologia mobile proporciona”, explica o presidente do INdT, Geraldo Feitoza. Pensando nisso, o INdT desenvolveu uma série de aplicativos de acessibilidade que permitem que deficientes interajam com o ambiente por meio do celular. O Audio Aid, por exemplo, permite que sons como campainhas ou alarmes sejam percebidos através de vibrações. A ideia é que o deficiente auditivo possa sentir sons do ambiente por meio da vibração do celular e se orientar por elas. Deste modo, alarmes e campainhas são traduzidos em estímulos que ajudam na orientação dos usuários com deficiência. Com o Color Detector instalado nos celulares os usuários com daltonismo têm uma importante ferramenta nas mãos, pois podem apontar a câmera do aparelho para alguma coisa e ver a cor que está sendo mostrada escrita por extenso na tela. O Nokia Magnifier por sua vez é uma lupa eletrônica que usa a próprio câmera do aparelho. O programa é para quem tem baixa visão e pode ser usado em celulares Nokia da série S60. O INdT estima que esses aplicativos estejam disponíveis para download na loja de aplicativos da Nokia – http://www.ovi.com – ainda nesse ano.

“Nós temos um propósito muito claro que faz parte do nosso jeito de pensar nossos projetos, usando a tecnologia para desenvolver aplicações para celulares que tem o potencial de ajudar muitas pessoas em todo o mundo”, conclui Feitoza. Sobre o INdT Fundado em 2001, o Instituto Nokia de Tecnologia (INdT) é uma instituição independente e sem fins lucrativos comprometida com a realização de pesquisa e desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras nas áreas de mobilidade e Internet. Através do desenvolvimento de aplicações, novas tecnologias e conceitos, o Instituto Nokia objetiva alavancar oportunidades para que pessoas, empresas e governos possam usar inovações que efetivamente adicionem valor ao seu dia-a-dia. O Instituto possui centros de pesquisa estabelecidos em Manaus, Brasília, Recife e São Paulo e busca constantemente estabelecer acordos de cooperação com universidades, instituições públicas e privadas e outros centros de pesquisa e desenvolvimento. As principais áreas de competência do INdT são Software Livre e Interfaces de Usuário, Tecnologias de Produto e Manufatura, Experiências em Serviços e Tecnologias de Rede. Para mais informações, acesse www.indt.org.br

http://www.worldsymbian.com.br/2010/03/instituto-nokia-de-tecnologia.html